apresenta-1

 

 

logo-azul

seta

teste

Azul Resplendor

 

azullogo

Azul Resplendor

AZUL RESPLENDOR é uma homenagem ao mundo do Teatro. A peça trata das relações complexas que se estabelecem entre os artistas durante a criação de um espetáculo: os jogos de poder, os afetos, as ambições, as frustrações, etc. A obra abre aos espectadores as entranhas do Teatro, o que realmente acontece no mundo dos bastidores. As pessoas sempre querem saber o que se passa fora dos holofotes e o texto é pródigo na revelação dessa “intimidade” de camarim. Em uma época de culto às celebridades, AZUL RESPLENDOR trata de maneira crítica e bem humorada o ávido interesse que o público tem dedicado à vida privada dos artistas.

O projeto de montagem conta com outro grande trunfo para a realização desta homenagem aos palcos: Eva Wilma, uma das maiores atrizes brasileiras, completará, em 2013, seus 60 anos de carreira e 80 de vida. AZUL RESPLENDOR é a obra perfeita para esta celebração, pois expõe com clareza e ironia a batalha “titânica” dos artistas para atingir o “Olimpo” da profissão.

Eduardo Adrianzén

Autor
Um dos autores mais premiados da cena hispânica. Escritor. Nascido em Lima-Peru, em 1964. Dramaturgo teatral desde 1995, com 16 peças encenadas até hoje, várias publicadas, premiadas e montadas no cenário internacional do Teatro. Autor de televisão desde 1985, roteirista de quase 50 títulos de ficção, entre telenovelas, minisséries e similares. Professor universitário desde 1999, ministra cursos na área de Comunicação Audiovisual e Dramaturgia Teatral em diversas universidades. Colunista desde 2005 no jornal peruano “La República”. Como dramaturgo teatral, escreveu e montou: DE REPENTE UN BESO (1995-2011), EL DÍA DE LA LUNA, Prêmio de Dramaturgia do Teatro Nacional (1996-97, encenada na Bulgária en 1998), CRISTO LIGHT (1997-2005, montada em Santiago de Chile em 2003) TRES AMORES POST-MODERNOS (1998), CUATRO HISTORIAS DE CAMA (2008-2012, montada em Madrid em 2010 e atualmente sendo ensaiada na Cidade do México), RESPIRA (2009, ganhadora do Prêmio Teatro Britânico), entre outras. Como autor de novelas, assinou 09 telenovelas (02 delas com posteriores remakes) co-roteirista e adaptador de outras 06, e autor de 18 minisséries e 11 telenovelas curtas. Também foi produtor de TV. Em 2001, a Universidade Católica do Peru publicou seu livro: “Telenovelas: cómo son, cómo se escriben”, com 02 reedições. Recebeu o Prêmio da Coordenadoria de Direitos Humanos do Peru em 2006 por seu trabalho como roteirista de TV.

autor1

elenco

Eva Wilma

Em 2013 Eva Wilma completa 60 anos de carreira artística. Período em que participou de 28 peças teatrais, 24 filmes, mais de 60 trabalhos na TV (entre mini-séries, seriados, tele-teatros e novelas).

“Azul Resplendor” é o espetáculo que, segundo ela, realiza com o mesmo entusiasmo de quando participou da peça “Uma Mulher e Três Palhaços”, realizada pelo Teatro de Arena e apresentada em 1953 e 1954.

Em Azul Resplendor, seu personagem é:

BLANCA ESTELA RAMÍREZ, ex-atriz, entre 70 e 80 anos.

Considerada uma das maiores estrelas de seu tempo, a atriz deixou os palcos no auge de sua carreira, sem dar maiores explicações. Desde então, vive só e reclusa. Seu retiro voluntário será abalado por uma visita inesperada. No apagar das luzes, a grande dama do teatro nacional terá de enfrentar a performance mais importante de sua vida.

eva-wilma

Renato Borghi

Ícone do movimento tropicalista por sua atuação como Abelardo I em O REI DA VELA de Oswald de Andrade, Renato Borghi completa 55 anos de carreira como um dos atores mais consagrados e ativos do Teatro Brasileiro. Louvado com três estatuetas do Moliére e todos os outros prêmios mais relevantes da cena nacional, o ator, dramaturgo, produtor, diretor e pesquisador teatral acumula mais de 50 peças em seu currículo, além de filmes, telenovelas e minisséries. Coleciona uma galeria de personagens marcantes: Piotr de PEQUENOS BURGUESES; Andri de ANDORRA; Galileu Galilei, Tio Vânia, Timão de Atenas, entre outros.

Em Azul Resplendor, seu personagem é:

TITO TÁPIA, ex-ator, entre 70 e 80 anos.

Ator sem nenhuma expressão na cena teatral, Tito atravessou a carreira fazendo personagens insignificantes, “pontas”, como se diz no jargão dos atores. Retirou-se do palco há muitos anos para cuidar da mãe doente. Quando ela morre, Tito decide revolucionar sua vida. Seu primeiro ato de coragem é procurar a mulher que dominou sua imaginação desde a juventude: a grande Blanca Estela Ramírez.

Guilherme Weber

Ator, produtor e diretor. Fundou, em 1993, junto com Felipe Hirsch, a Sutil Companhia de Teatro, uma das mais importantes do país, que em vinte anos de atividades profissionais conquistou mais de cem prêmios e indicações. Protagonizou mais de vinte espetáculos profissionais, atuou em diversos filmes e também nas novelas “Um Anjo Caiu do Céu”, “Da Cor do Pecado”, “Belíssima”, “Ciranda de Pedra”, “Tempos Modernos”, e nasminisséries “Carandiru, Outras Histórias”, e “Queridos Amigos”.

Em Azul Resplendor, seu personagem é:

ANTÔNIO BALAGUER, diretor de teatro, por volta dos 47 anos.

O diretor teatral mais respeitado e badalado do país. Sempre envolto em polêmicas, balaguer é cultuado como um grande gênio da vanguarda. Dono de um estilo magnético e inconfundível, o diretor provoca reações extremas entre seus pares e o público. Ninguém fica indiferente diante de Antônio Balaguer. No ápice de seu sucesso, o consagrado artista receberá uma proposta irrecusável.

weber

Luciana Borghi

Luciana Borghi é Atriz, Autora e Diretora, tem 20 anos de carreira. Iniciou Sua formação teatral na CAL em 1992 e estudou na Uni-Rio. Criou e participou do movimento “Nova Dramaturgia Brasileira”, importante projeto que revelou autores hoje em dia consagrados e premiados. Com destaque para as apresentações em Paris no ano do Brasil na França. Atuou em 27 espetáculos, dirigiu 9 e teve 3 peças suas encenadas. Seu último trabalho no teatro foi “Myrna”, de Nelson Rodrigues e na TV, Tempos Modernos (Barbara Lee) e Malhação (Railda) na  Rede Globo.

Em Azul Resplendor, sua personagem é:

GLÓRIA CAMPOS, assistente de Balaguer, por volta de 37 anos.

A fiel assistente de Antônio Balaguer. Ela é responsável por organizar de maneira impecável as produções e a vida do “gênio”. No passado, foi uma grande promessa como diretora teatral. Antes de sua parceria com Antônio, chamava-se glória campos. Hoje, é mais conhecida como a Glória “do Balaguer” e ninguém se importa com seu sobrenome.

luciana

Débora Veneziani

Atriz e bailarina. Atualmente é aluna da Escola de Arte Dramática – ECA/USP e ex-integrante do grupo de estudos do Grupo TAPA. Especializou-se em jazz, sapateado e dança contemporânea na Steps On Broadway, em Nova Iorque. Seus últimos trabalhos no teatro foram: “O Burguês Fidalgo” direção de Hugo Possolo, “Por que Você Fuma Tanto, Lily?” direção de Celso Frateschi, “Sete Gatinhos” e “17X Nelson” direção de Nelson Baskerville, “New York, New York” direção de José Possi Neto e o infantil “O Segredo dos Dois Pinocchios” (como coreógrafa) direção de Johana Albuquerque.

Em Azul Resplendor, sua personagem é:

LUCIANA CASTRO, atriz, por volta dos 30 anos.

A melhor atriz da nova geração. Protagonista absoluta em teatro, cinema e televisão. Completamente focada em sua carreira, a jovem diva é cobiçada pelas maiores produções do país. Sua presença garante uma aura de qualidade imediata a qualquer obra de ficção em que esteja envolvida. Sabe como exercer grande fascínio sobre seus diretores. É a atriz preferida de Antônio Balaguer.

debora2

Felipe Guerra

Ator formado pela Escola Superior de Artes Célia Helena. Atuou no teatro em “Folias Canta Galileu Galilei”, direção Dagoberto Feliz –2012; “O que uma lâmpada pode fazer “, Teatro Célia Helena, também dirigido por Dagoberto Feliz – Jun/2011 a Jul/2011; “Pensando sobre” Teatro Augusta, direção e coreografia de Dinah Perry – Jan/2011 a Fev/2011 e em “Os príncipes da Metrópole” – Espaço Cia do Corpo, espetáculo de dança contemporânea – Jul/2009 e “Jogos de Manicômio” , baseado na peça Fim de Partida, de Samuel Beckett , com direção de Zé Adão Barbosa, 2002.

Em Azul Resplendor, seu personagem é:

GIANCARLO VARONI, ator e ex-modelo, por volta dos 26 anos.

O ex-modelo foi revelado em um reality show de sucesso. Sua beleza apolínea acabou por transformar Giancarlo no galã mais desejado da televisão. Seu talento como ator é questionável, mas sua capacidade para administrar bem a carreira é incontestável. Apesar de não gostar de teatro, o jovem astro sabe que trabalhar com diretores importantes como Antônio Balaguer irá “agregar valor” ao seu currículo.

felipe

Bastidores

Confira abaixo fotos e vídeos dos bastidores do Azul Resplendor.

FOTOS

VÍDEOS

Participe

Participe

promo_copy

direcao

Renato Borghi

Direção

Um dos atores mais importantes do país. Louvado com 03 prêmios Moliére (a consagração máxima do teatro nacional) e todos os outros grandes prêmios da cena brasileira, em diversas modalidades (ator, dramaturgo, diretor e pesquisador). Fundou o TEATRO OFICINA em 1958, juntamente com José Celso Martinez Corrêa, onde realizou trabalhos que marcariam para sempre o Teatro Brasileiro e se tornariam referências para as novas gerações: PEQUENOS BURGUESES, ANDORRA, REI DA VELA, GALILEU GALILEI e NA SELVA DAS CIDADES. Nos anos 70, fundou o TEATRO VIVO com Estér Góes e, juntos, produziram espetáculos de forte impacto no que ficou conhecido como “Teatro de Resistência à Ditadura Militar”, entre eles: O QUE MANTÉM UM HOMEM VIVO e MAHAGONNY de Brecht, MURRO EM PONTA DE FACA de Augusto Boal, UM GRITO PARADO NO AR de Gianfrancesco Guarnieri e CALABAR de Chico Buarque e Ruy Guerra. Durante a década de 80, lança-se como dramaturgo e escreve peças de enorme sucesso como A ESTRELA DALVA (com Marília Pêra) e LOBO DE RAY BAN (com Raúl Cortez e Christiane Torloni). Em 1993, funda o TEATRO PROMÍSCUO com o ator Elcio Nogueira Seixas e obtém grande êxito alternando montagens de clássicos e dramaturgos contemporâneos. Ícone do Tropicalismo, ficou imortalizado por sua atuação em O REI DA VELA de Oswald de Andrade, recebendo o reconhecimento da crítica internacional. Em 2010, voltou a encantar público e crítica estrangeiros com as peças da EMBAIXADA DO TEATRO BRASILEIRO. Diretor de grandes espetáculos ao largo de sua extensa carreira, Renato Borghi retorna à arte da encenação com AZUL RESPLENDOR, peça madura que requer toda sua vasta experiência (em 2013, serão 55 anos de palco).

borghi copy

Elcio Nogueira Seixas

Elcio Nogueira Seixas

Direção

Ator e diretor. Iniciou sua carreira participando da reabertura do emblemático TEATRO OFICINA, com HAM-LET, em 1993, sob a direção de JOSÉ CELSO MARTINEZ CORRÊA. Ainda neste ano, fundou o TEATRO PROMÍSCUO com o ator RENATO BORGHI. Ao longo dos 20 anos da companhia, idealizou, dirigiu e protagonizou vários espetáculos e projetos relevantes: ÉDIPO DE TABAS, TIO VÂNIA, JARDIM DAS CEREJEIRAS, MOSTRA DE DRAMATURGIA CONTEMPORÂNEA, BORGHI EM REVISTA, TIMÃO DE ATENAS, MACBETH, entre outros. Em todas estas produções, contracenou, dirigiu e concebeu espetáculos ao lado de grandes nomes do Teatro Brasileiro: TÔNIA CARRERO, HÉLIO EICHBAUER, DANIELA THOMAS, BETH GOULART, FAUZI ARAP, ELIAS ANDREATO, entre outros artistas de enorme relevância na cena teatral. Por sua atuação na MOSTRA, ganhou os prêmios SHELL e APCA de 2002, além de ter recebido indicações como ator e diretor por outros espetáculos (recentemente, foi indicado como melhor ator ao APCA por sua atuação em O BEIJO NO ASFALTO). Com um de seus últimos projetos – a EMBAIXADA DO TEATRO BRASILEIRO – recebeu, em Cuba, o Prêmio Villanueva da crítica pelos melhores espetáculos internacionais apresentados na ilha no ano de 2010. Em 2008, lançou seu primeiro livro – BORGHI EM REVISTA – pela Coleção Aplauso. Durante toda sua carreira, ministrou inúmeras oficinas de teatro, no Brasil e no exterior, sobre temas variados, como  as obras de Nelson Rodrigues, Tchekhov, Beckett, Tennessee Williams e Shakespeare.

autor2

Equipe


_0003_Layer 15
Diretora Assitente:
Carol Carreiro

_0000_Layer 18
Iluminação:
Lúcia Chediek

_0005_Layer 12
Cenário:
André Cortez

_0010_Layer 7
Trilha sonora:
Aline Meyer

_0016_Layer 1
Figurinos:
Simone Mina

_0009_Layer 8
Vídeo:
Renato Rosati

_0002_Layer 16
Assessoria de Imprensa:
Adriana Monteiro

_0007_Layer 10
Administração:
Flandia Mattar

_0006_Layer 11
Diretor de palco:
Maurilio Dias

_0008_Layer 9
Produção Executiva:
Rosângela Longhi

_0011_Layer 6
Sound Design:
Dug Monteiro

_0015_Layer 2
Camareira:
Helena

_0001_Layer 17
Iluminador Assistente:
Tomate

_0014_Layer 3
Designer Gráfico:
Fernando Bergamini

_0016_Layer 16
Fotografia:
João Caldas

_0004_Layer 13
Internet:
Vando Araújo

andre
Direção de Produção:
André Mello

ministerio
bra

linha

Patrocínio:

novo

linha

Apoio Cultural:

brunao
pague_menos

linha

Promoção:

 
globo

linha

Apoio Institucional:

lei-incentivo
 
proac
gov-sp
mini-misnisterio
brasil

linha

Produção:

renato-borghi

Contato

Contato
contato@azulresplendor.com.br

Assessoria de Imprensa

Unknown